Alguns Eventos da A.R.L.A.

( relatório muito sumário e imagens )

Simulacro Maio 2000

Esta simulação inseriu-se no plano anual de exercícios da Inspecção Regional de Bombeiros do Alentejo, tendo tido como objectivos testar a operacionalidade dos meios dos Corpos de Bombeiros do Sector Operacional Vale do Sado e treinar os seus intervenientes na aplicação dos procedimentos do sistema de Comando Operacional ( SCO ), enquadrado no Manual Operacional Nacional ( MON ) - Serviço Nacional de Bombeiros.

O Radioamadorismo
Legislação Aplicável
O que é a A.R.L.A. ?
Estatutos/Regulamentos
Plano de Actividades
Notícias da A.R.L.A.
Os eventos da A.R.L.A.
Secção Técnica Temática
Protecção Civil
Utilidades
Ligações com interesse

O exercício realizado no dia 14 de Maio de 2000 entre as 10:15 e as 12:30 procurou simular um eventual acidente de viação envolvendo uma viatura pesada de transporte de combustível e viaturas de ligeiros de passageiros, do qual viriam a resultar feridos encarcerados nas viaturas, derrame de combustível e um incêndio.

Entre outros organismos empresas e entidades participaram a Guarda Nacional Republicana ( Territorial e Brigada de Trânsito ), o Hospital Distrital de Santiago do Cacém " Conde do Bracial ", o Serviço Municipal de Protecção Civil de Santiago do Cacém, o Serviço Municipal de Protecção Civil de Sines, Serviço Distrital de Protecção Civil de Setúbal, o Instituto Florestal, o Instituto de Conservação da Natureza, a Petrogal ( Refinaria de Sines ), a administração do Porto de Sines e a Borealis. As Corporações de Bombeiros presentes foram as de Cercal do Alentejo, Santiago do Cacém, Vila Nova de Santo André, Sines, Alcácer do Sal, Grândola, Odemira e Torrão.

O convite para a intervenção dos radioamadores da região ao nível das comunicações foi dirigido à Associação de Radioamadores do Litoral Alentejano e partiu do Serviço Municipal de Protecção Civil da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

A participação dos sócios da A.R.L.A. no sistema de comunicações testado ficou enquadrado com o Sistema de Comando Operacional, o qual se desenvolve de uma forma modular e é uma organização de conjuntura que deve ser utilizado, seja qual for a importância e o tipo de incidente.

O local da realização foi na variante à estrada nacional 120/IP8, ao quilómetro 28 junto à saibreira " Monte dos Namorados " na Freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, distrito de Setúbal, com as coordenadas geográficas de 38º02'50'' N / 08º42'25''.

Os sócios da A.R.L.A. tiveram como responsabilidade a organização montagem rápida de uma rede de estações móveis e portáteis que assegurassem comunicações digitais e em telefonia cobrindo a área compreendida entre o local do acidente, o hospital e os quartéis de bombeiros envolvidos.

Para além das equipas no terreno distribuídas pelos locais que nos foram destinados no exercício, foi ainda activada uma estação repetidora de telefonia que serviu de ponto de apoio às comunicações regionais e permitiu a interligação de todas as estações. As estações digitais serviram-se do repetidor para este tipo de comunicação em Santiago do Cacém.

Nestas imagens podemos apreciar várias panorâmicas do processo.

De cima para baixo, a primeira fotografia, retracta o aparato montado para o simulacro no IP8 a cerca de 2 quilómetros do local do exercício. Por motivos de segurança, a área foi isolada pela Brigada de Trânsito da Guarda Nacional Republicana. Estas fotos foram conseguidas devido à participação dos nossos sócios destacados para o local ou, outras ainda, gentilmente cedidas pelo nosso colega CT2HGW.

Este cordão de segurança é bem patente na segunda fotografia conseguida graças ao poder de ampliação de imagem da câmara que dá a noção da distância entre o último local de concentração de meios de combate a incêndios de reserva e a saibreira " Monte dos Namorados " ao quilómetro 28.

Na imagem seguinte pode-se ver o João Pires ( CT1EYQ ) operando a estação digital móvel através de rádio pacote dentro da sua viatura estacionada a distância segura das operações.

A quarta fotografia ilustra um dos momentos altos do simulacro no qual os bombeiros envolvidos no combate ao incêndio na viatura pesada de transporte de combustível actuam para dominar o fogo ( foto cedida ).

Ainda durante este exercício, na imagem seguinte está ilustrado o trabalho dos bombeiros no momento em que trabalham para socorrer os feridos encarcerados numa das viaturas ligeiras acidentadas.

Na sexta fotografia, tendo com cenário o movimento de viaturas dos bombeiros após o simulacro, podemos ver os nossos colegas Arnaldo Costa ( CT2GUZ ) com o seu equipamento portátil à cintura ( virado de costas para a câmara ) e o João Pires ( CT1EYQ ) acompanhado pelo Frenando Diniz ( CT1DZ ) a trocarem algumas impressões. Os seus coletes identificam-nos como a equipa que esteve no terreno a cobrir os acontecimentos.

As duas imagens seguintes testemunham a quantidade de meios envolvidos neste simulacro. Após a conclusão dos trabalhos a estrada nacional 120 exibia a aparatosa concentração de meios das corporações de bombeiros que se pode ver nestas panorâmicas.

A penúltima fotografia é a " foto de família " possível de quase todos os sócios da A.R.L.A. envolvidos na operação na concentração para a reunião final de balanço desta actividade com todas as entidades e empresas participantes.

À direita da última imagem está nosso colega Alberto Marrana ( CT2HGW ) que esteve presente em serviço para acompanhar o simulacro não podendo por isso participar nos trabalhos de comunicações da associação.

 

Regressar à página anterior