ARLA/CLUSTER: Link de Echolink em 439.925

Paulo Santos ct4dk.santos gmail.com
Quinta-Feira, 29 de Julho de 2010 - 18:29:17 WEST


 Boas Matias
Entao se são consideradas estações de uso comum porque é que só cá em
Portugal é que se passa esse tipo de licenças ás associações?
no outros países qualquer pessoa pode ter uma licença de um repetidor ou
de um echolink desde que se comprometa a o manter em funcionamento
para uso de todos e não só para uso privado, não será isso uma manobra
de justificar a existência de associações fantasma que por ai proliferam
com menos de 50 associados já digo menos de 50 porque há por ai algumas
que são só os membros da direcção e assembleia fiscal?

Acho que se essas associações não tivessem repetidores ou echolinks não
tinham razão de existir.

Vy 73's de,
Paulo Santos - CT4DK

Em 29/07/2010 15:13, Antonio Matias escreveu:
> Boas.
> O problema é que o Echolixo, quer dizer,Echolink é uma estação de uso
> comum, tal como um repetidor ou um beacon.
> Assim sendo, não pode ser passada uma licença a um amador titular de
> licença pessoal, mas sim a uma associação.
> Daí, que todas estas estações de Echolink  na casa deste e daquele,
> que polvilham o nosso país, não estando ao abrigo  da legislação em
> vigor, podem ser consideradas: estações piratas.
>
> 73
> Matias
>
>
> 2010/7/29 Paulo Santos <ct4dk.santos  gmail.com
> <mailto:ct4dk.santos  gmail.com>>
>
>     Olá Pedro Ribeiro e restantes colegas 73s,
>     No nosso caso com esta nova legislação estamos sempre actuais pois
>     a ANACOM  da parte da legislação Nacional só diz a potência e a
>     faixa onde podemos operar
>     o resto eles apontam para os documentos da IARU, por isso digo que
>     a nossa legislaçao esta sempre actualizada no que diz respeito ao
>     que se pode fazer (modos) em cada faixa.
>     Logo seguindo esse raciocínio não é necessário pedir qualquer tipo
>     de autorização para novos modos que apareçam e estejam
>     contemplados nos documentos da IARU o que
>     contrariamente muita gente quer fazer querer, e dizer que certos
>     modos são exclusivos de ser feitos por associações, concordo sim
>     que haja um controle feito pelas associações
>     a nível de planeamento da distribuição das frequencias como é o
>     caso dos Echolinks para não acontecer haver 2 ou 3 sistemas a
>     funcionar dentro da mesma área, no caso inglês
>     compete à RSGB (membro da IARU) fazer essa coordenação, por
>     exemplo se eu pensasse montar um sistema de echolink tinha de
>     propor o projecto à RSGB que depois analizaria
>     em questão ás potencias utilizadas e frequências e atribuía uma
>     frequência a esse meu sistema que não estivesse a ser utilizada na
>     mesma área de cobertura do meu sistema.
>
>     Por mim acho que esse sistema seria o mais lógico pois assim não
>     se sobrecarregava a ANACOM por vezes com pedidos, pois a função da
>     ANACOM a meu ver é fazer a legislação
>     e garantir de que não haja interferências nos diversos segmentos
>     do espectro electromagnético atribuídos ás diversas entidades,
>     pois a eles só lhes cabe internacionalmente a gestão
>     do espectro dentro do território Nacional, não tem lógica nenhuma
>     eu por exemplo solicitar uma frequência para uso privado e
>     dizerem-me "olha só podes operar neste ou naquele modo"
>     se eu a nível privado estou a pagar por uma frequência eu posso
>     fazer com ela o que bem entender e trabalhar os modos que quiser,
>     já a nivel do radioamadorismo esses mesmos modos
>     já estão definidos internacionalmente pela IARU, recordo-me de que
>     nos anos 90 quando foi o grande boom do packet em Portugal eu
>     cheguei a receber uma contra-ordenação por estar
>     a operar um modo que não vinha especificado na legislação é claro
>     que nao veio a dar em nada depois de justificar o porquê de operar
>     o referido modo, mas também tive de escrever
>     uma carta a solicitar autorização para o operar visto que era um
>     modo que não estava contemplado na legislação, claro que
>     aproveitei logo para pedir também autorização para outros
>     modos que estavam também a surgir nessa década tais como o GTOR,
>     AMTOR etc...
>
>     Vy 73s de,
>     Paulo Santos, CT4DK
>
>
>
>     Em 29/07/2010 8:31, Pedro Ribeiro (CR7ABP) escreveu:
>>     A RSGB, associação "nacional" de radio-amadores da Grã-Bretanha,
>>     apesar de ser uma boa referência para muitas coisas, não o será
>>     para este caso já que, provavelmente por motivos históricos ainda
>>     não estão a seguir as directivas mais recentes sobre o assunto
>>     acordadas entre as congéneres da IARU Região 1.
>>
>>     O documento que o João Costa sugeriu "VHF MANAGERS HANDBOOK" é a
>>     melhor referência para este tipo de assuntos, não esquecendo que
>>     algumas das directivas podem ainda não estar transpostas para a
>>     legislação ou regulamentação de cada país, tendo obviamente as
>>     regras nacionais prioridade sobre as directivas da IARU.
>>
>>     73!
>>
>>     On 29-07-2010 00:48, Bruno Luengo wrote:
>>>     Apenas sigo por este link:
>>>     http://www.rsgb.org/spectrumforum/bandplans/rsgb_band_plan_2010.htm
>>>
>>>     --------------------------------------------------
>>>     From: "João Gonçalves Costa" <joao.a.costa  ctt.pt>
>>>     <mailto:joao.a.costa  ctt.pt>
>>>     Sent: Wednesday, July 28, 2010 6:39 PM
>>>     To: "'Resumo Noticioso Electrónico ARLA'"
>>>     <cluster  radio-amador.net> <mailto:cluster  radio-amador.net>
>>>     Subject: RE: ARLA/CLUSTER: Link de Echolink em 439.925
>

-------------- próxima parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: /cluster/attachments/20100729/d3d998b7/attachment.html


Mais informações acerca da lista CLUSTER