ARLA/CLUSTER: D-Star

Carlos Mourato radiofarol gmail.com
Quarta-Feira, 26 de Agosto de 2009 - 14:40:20 WEST


Se calhar o HAMDREAM funciona tão bem ou melhor que este tal AMBE, e é open
source. O engraçado é que a AOR, com a sua fast modem que eu por acaso
tambem tenho, tambem usa o voicoder AMBE e tem muito melhor qualidade do que
o DSTAR. O problema é a robustez. A AOR deve ter um clock mais elevado logo
fica mais fiel, mas menos robusto. Ou então o DSTAR utiliza interleaving e o
AOR não.
73 de CT$RK


2009/8/26 José Miguel Fonte <etjfonte  ua.pt>

> Viva caro Jorge,
>
> Fiz uma pesquisa breve e não foi com facilidade que encontrei documentação
> sobre o codec, alias, sobre o codec não aparece nada que não faça menção ao
> facto de ser registado. O AMBE (R)(C), acrónimo de Advanced Multi-Band
> Excitation, é, e passo a transcrever:
>
> *"... *a proprietary </wiki/Proprietary> speech coding
> </wiki/Speech_coding> standard developed by Digital Voice Systems, Inc."
>
> (Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Advanced_Multi-Band_Excitation)
>
> Ou seja, o CODEC é proprietário e não apenas o integrado que o implementa.
> Este é apenas uma ferramenta também, provavelmente, registada.
>
> Entretanto dei um salto à pagina do referido Satochi e o que vi logo à
> entrada assusta um pouco e vai de acordo com o que imaginava, a filosofia
> comercial que fundamenta todo este criticismo. Ou seja, logo na página
> inicial o Satochi aparece a vermelho:
>
> "*Please do not buy any PCB or Kits of the node adapter from PA4BYR and
> G7LTT. They do not have the permission to produce or re-distribute any PC
> Boards designed by me. The same holds good for the PIC program and other
> related materials. These items are copyrighted to me and these 2 have broken
> the Copyright law. They have stolen our intellectual property. The PCB also
> has a patented pseudo real time monitor circuit. Therefore any duplication
> of this circuit without my explicit permission is also a clear violation. My
> lawyers will be initiating legal action against PA4YBR and G7LTT soon. Any
> products purchased from them will also be our targets. We will be able to
> identify your circuits on the D-Star network as I clearly know and can
> identify the circuits supplied by me. Moreover, I have never sold any PCB to
> PA4YBR and he is lying to you when he says that he got it from me. *"
>
> É a isto que me refiro,... Mesmo as PICs são vendidas já programadas e o
> que afirma ainda está por confirmar pois além de mal documentada
> (obviamente) percebe-se que há aqui muito fruto de engenharia reversa
> através da análise do protocolo quer do hardware opcional da icom (módulos
> UT). Quanto à placa sem o AMBE, não percebo muito bem o que faz pois ele
> denomina-a de "Node adapter/Digipeater Interface" mas logo a seguir tem um
> "Home Brew DV adapter", este sim (digital voice) e contém um AMBE2020. A
> informação é escassa e a filosofia reinante é a do numerário.
>
> Assim sendo fiz uma pesquisa ultra rápida sobre o CMX589A e este não é um
> "vocoder", é simplesmente um modem gMSK. Julgo que já percebi o que faz a
> "plaquinha".
>
> Quanto ao AA4RC o que ele faz é "trabalhar" o "data stream" e não
> propriamente, descodificar o conteúdo. A informação de voz vai encapsulada
> nestes "data streams", até aí tudo bem mas para fazer a conversão desta
> informação (a encapsulada) entre o "mundo" digital e o analógico, precisa de
> um CODEC que implemente o AMBE, por sua vez proprietário.
>
> Seja como for a questão da crítica é em relação à filosofia e não
> propriamente o custo. Poderia perguntar, também não vai implementar uma PIC
> quando pode comprar uma já feita, de facto é verdade mas todo o conhecimento
> aplicado à construção da PIC é disponibilizado, ou seja, poderia construir
> algo semelhante sem restrições, sendo que a PIC é apenas um meio para chegar
> a um fim e não um bloqueio ou uma imposição.
>
> Existem tantos codecs e teve de se escolher logo um proprietário?
>
> Quanto à ICOM, é simplesmente uma estratégia comercial e não critico. Eles
> próprios implementam outros protocolos, a ver por exemplo, a mensagem que o
> colega João Costa enviou hoje, sobre o dPMR, em que é utilizada voz digital
> e os protocolos e especificações são "standards" e facultados gratuitamente.
>
> Também sei que entrando no mundo digital, chegar a consensos será bem mais
> difícil, daí que esse trabalho, muito provavelmente, terá de ser feito pela
> nossa comunidade, pois as empresas, como se vê, estão dispostas a
> implementar as soluções propostas, comercialmente. De outra forma, cada
> empresa, tentará tomar a iniciativa, como acontecee depois dá nisto.
>
> Para finalizar, devo agradecer o facto de podermos debater estas questões
> por aqui, pois permite-me aprender um pouco mais e provavelmente elucidar
> outros colegas. Fosse o teor das conversas diárias que se ouvem por aí desta
> índole, certamente daria  outra vontade de participar e escutar.
>
> Cumprimentos e obrigado,
> 73 ct1enq
>
> Jorge Santos escreveu:
>
>> Caro Miguel.
>>
>> Pondo um ponto final no assunto teste e virando-me agora para o D-Star, o
>> referido na Wikipedia é fruto de alguém que teve (ou não) acesso a um
>> equipamento e fala por isso mesmo, completo desconhecimento. O protocolo
>> D-Star é público está por demais documentado na net, o codec tal como já
>> referi anteriormente pode ser gerado e controlado por PIC e como tal
>> utilizar-se outro chip que não o AMBE-2020 (embora este último seja mais
>> barato que o CMX).
>> Existem neste momento colegas com um estudo de um novo Codec este
>> exclusivamente por software (sem recurso aos Chip's), a DVSI produziu um
>> Chip que é simultaneamente conversor AD, um Voice encoder decoder e (aqui
>> foi a mais valia para a ICOM) um FEC encoder e decoder que entrega/recebe
>> directamente por protocolo ATM (entre outros), o registo de patente garante
>> que mais ninguém irá produzir um chip com estas características, no entanto
>> se analisar por exemplo o software D-Plus ele agarra no bit stream
>> descodifica-o e entrega-o a outro servidor que por sua vez o codifica (e
>> corrige se necessário) por forma a poder ser emitido noutro repetidor, que
>> eu saiba a DVSI ainda não pediu royalties ao Robin Cutshaw (AA4RC) por ele
>> ter "usurpado" um direito deles, o mesmo se passa com o Satoshi que ao
>> descodificar o bit stream através de um software residente no PIC e o enviar
>> ao CMX (este outro vocoder de outra Empresa) cumpre assim as especificações
>> do protocolo D-Star sem contudo ter violado os direitos da DVSI.
>> Em relação ao repetidor GB7MH ele está activo com gateway recebe
>> comunicações de móveis (Rf directa) e tal como lhe disse Miguel se acaso não
>> tem um equipamento D-Star procure alguém que o tenha e teste o repetidor em
>> comparação por exemplo com um nosso, irá ver que não nota diferença alguma
>> no áudio no entanto o mesmo está a ser processado por software e não por
>> hardware (embora o software esteja no PIC e como tal poderá levar à confusão
>> de ser considerado hardware).
>> Com respeito a equipamentos com sistemas proprietários, já foi por demais
>> debatido este assunto mas retornando, o D-Star baseia-se num protocolo
>> criado à uns anos pela JARL, o mesmo é público as Empresas concorrentes
>> servirem-se ou não dele é meramente uma questão comercial, isto lembra-me
>> uma certa Empresa que pretendeu lançar um sistema (este sim era só deles)
>> que era o WiresII e que ficou-se por isso mesmo.
>>
>> Não pense caro Miguel que sou um defensor acérrimo do D-Star, pura e
>> simplesmente vejo-o como um novo sistema cheio de lacunas (no meu entender)
>> e que só com a colaboração de todos poderá talvez num futuro a vir a ser o
>> único modo de comunicação, mas de momento ainda está muito verde.
>>
>> Com um abraço e um obrigado
>>
>> Jorge Santos
>>
>>
>
>
> _______________________________________________
> CLUSTER mailing list
> CLUSTER  radio-amador.net
> /cluster/listinfo/cluster
>
>


-- 
Best 73 from: regards from: CT4RK Carlos Mourato - Sines - Portugal

Save the Radio Spectrum! Eliminate Broadband over Power Line. Salve o
espectro electromagnético!. Não use a rede electrica para transmitir dados.
Os "homeplugs power line" e a tecnologia "power line" causa fortes
interferencias noutro serviços sem voce se aperceber. Diga não à tecnologia
power line. Proteja o ambiente
-----------------------------------------------------------
-------------- próxima parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: /cluster/attachments/20090826/50c4d43b/attachment.html


Mais informações acerca da lista CLUSTER