ARLA/CLUSTER: Sobre o "novo" decreto Lei

SARDO pt pol.pt
Quarta-Feira, 24 de Dezembro de 2008 - 07:08:22 WET


Todos vemos a ambiguidade da linguagem das leis secas. Nao servem para servir mas para servirem-se. Os governos fazem os povos e a historia se repete. Quem reclama so' nao ve que nao adianta e o protagonismo dos meros presidentes das associacoes tem de comer e calar. Ha' esquemas montados que tornarao cada vez mais eficaz a ditadura que mantera' os poderosos em tempos de crise para o povo e quem esta' no autocarro nao pode sair com ele a descer a ladeira, e o autocarro vai cada vez mais embalado.

Sergio
CT2IFT


-----Original Message-----
From: ARAL <ct6arl  gmail.com>
Sent: Wednesday, December 24, 2008 10:44 AM
To: 'Resumo Noticioso Electrónico ARLA' <cluster  radio-amador.net>
Subject: ARLA/CLUSTER: Sobre o "novo" decreto Lei

 
 
De: ARAL [mailto:ct6arl  gmail.com] 
 Enviada: quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008 10:42
 Assunto: Sobre o "novo" decreto Lei
 
Bom dia a todos os colegas.
A notícia emitida a partir da presidência de conselho de ministros, sobre a aprovação do diploma que define as regras aplicáveis aos serviços de radiocomunicações de amador e de amador por satélite, para além do interesse que me despertou, o avivar de memórias sobre a desunião reinante inter-associativa lembrando os feudos medievais, avivou-me á memória quanto estão expostos os radioamadores.
Diz num determinado momento o comunicado:
“Na linha da responsabilização individual, o diploma vem reforçar os mecanismos de responsabilização dos amadores e das suas associações, em caso de deficiente ou incorrecta utilização das respectivas estações de radiocomunicações e na ocorrência de interferências em que tenham intervenção estações de amador”
Concordo perfeitamente com o que se transmite neste ponto do comunicado, mas fico também bastante apreensivo!..
Existe manifesto interesse de regulamentar as interferências provocadas pelos radioamadores  que, estão sempre responsabilizados por os vizinhos terem materiais defeituosos e/ou de baixa qualidade nos seus sistemas de recepção de sinal televisivo.
Não observo lamentavelmente, interesse do legislador em colocar um fim às interferências de outros serviços, nas faixas atríbuidas aos amadores.
Será bom relembrar e questionar a ANACOM sobre as interferências da TV Cabo e  outros prestadores de serviço.
Há quantos anos a ANACOM sabe das interferências e elas continuam  a existir?
Porque razão?
Quais os interesses?
Na Marinha Grande foram efectuadas medições há alguns anos, apenas medições, nada mais foi feito para impedir que por exemplo nos 145.750MHZ à sexta-feira depois das 24 h se escutem “os gemidos lascivos provenientes do Canal 18 da TV cabo”, ou que durante todo o dia se escute a programação normal!
Tudo isto, no meu entender é preocupante:
·        A contínua desunião por parte das associações de radioamadores
·        A falta de respeito pelas frequências da banda de amador
·        A falta de diálogo entre a ANACOM e as Associações de Radioamadores no que respeita ao novo regulamento
·        A falta de equidade regulamentar e seu cumprimento entre o serviço de amador e outros serviços e a respectiva fiscalização pela ANACOM
 
Mas tal como sugerem alguns radioamadores,  qie tem isto a ver com os radioamadores? 
O melhor seria não nos preocuparmos com isso e fazermos muito rádio, mesmo muito…..pois quem se atreve a falar de problemas da classe e de incumprimento de regras e acordos apenas visa o protagonismo!
Será?
 
A todos um feliz Natal
CT1EWA
Presidente da Direcção da ARAL
 
 
-------------- próxima parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: /cluster/attachments/20081224/f5654191/attachment.htm


Mais informações acerca da lista CLUSTER