RE: [Resumo Noticioso Electrónico ARLA] Fwd: Repetidor em 145.650

José Proença ct2hiv netcabo.pt
Sexta-Feira, 17 de Fevereiro de 2006 - 22:59:26 WET


À atenção da
Digníssima Direcção da
ARLA-ASSOCIAÇÃO DE RADIOAMADORES DO LITORAL ALENTEJANO
 
Caríssimos colegas Directores
 
Venho por este meio solicitar a informação do montante das minhas quotas
em dívida e o número de NIB da Associação, para poder proceder ao
pagamento 
Através de transferência bancária.
 
73's
 
José António da Conceição Proença
CT2HIV
IM 58 kp
 
 
 
 
-----Mensagem original-----
De: cluster-bounces  radio-amador.net
[mailto:cluster-bounces  radio-amador.net] Em nome de Carlos Mourato
Enviada: sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2006 13:23
Para: Cluster  radio-amador.net
Assunto: [Resumo Noticioso Electrónico ARLA] Fwd: Repetidor em 145.650
 
---------- Forwarded message ----------
From: ARAL <ct6arl.aral  sapo.pt>
Date: Feb 13, 2006 2:35 PM
Subject: Re: Repetidor em 145.650
To: Carlos Mourato <radiofarol  gmail.com>
 
..isto só visto!
Colega, vou acreditar que após inúmeros telefonemas hoje recebidos e
efectuados e porque o assunto em questão é grave, que nada vai ficar
como
antes.
 
Aliás refiro-lhe a atenção e o interesse(???????) com que a Anacom está
a
tratar o assunto após minha insistência e pedido!
 
Hoje também recebi 2 emails em que me davam conta que (finalmente)
os colegas da ARBA já tinham efectuado demarches desde sábado para
colocarem
a sua emissão dentro dos parâmetros.
Quinta-feira já terei mais notícias sobre este problema, que terei o
prazer
de partilhar com o colega.
 
Quanto aos repetidores de Lisboa, meu Deus, porque não me espanta essas
atitudes vindas de quem vem????...
 
73's
ct1ewa
 
----- Original Message -----
*From:* Carlos Mourato <radiofarol  gmail.com>
 *To:* ARAL <ct6arl.aral  sapo.pt>
*Sent:* Monday, February 13, 2006 12:58 PM
*Subject:* Re: Repetidor em 145.650
 
 
Caro colega Paulo
 
Antes de mais os meus renovados cumprimentos.
Estou completamente de acordo consigo no que toca à montagem mais ou
menos
caricata de repetidores. Sempre denfendi e defendo, que a instalação de
repetidores devia prioritariamente ser a cargo da associações que
abrangem a
zona de uma hipotética instalação. Se essas associações não tivessem
capacidade técnica ou monetária para instalação, então outras
associações
poderiam "concorrer" em igualdade de circunstancias para a instalação
dos
sistemas. O caso que se passa em Coimbra, repete-se na Serra de Santa
Eufémia em Sintra. Neste local sempre esteve a funcionar um repetidor a
cargo da LARS, Liga de Amadores Radio Sintra. Desta vez a REP, Rede dos
emissores Portugueses, Dicidiu tambem instalar lá um outro em 145.675
KHz e
assim fez. Claro que só pode ser para fazer guerra à LARS que dicidiu
colocar lá um inutil repetidor de VHF na mesma serra, quando já lá
existia o
antigo R4 da LARS à mais de 10 anos. Aliás. os repetidores que a repe
colocou, já praticamente no final do prazo, pautam-se por um
funcionamento
muito dificiente, e são quase inuteis. Como exemplo dou este repetidor
instalado pela REP em Sintra que escuto com 59+20e que só lá entro com
50watts, ao passo que o da LARS está ao lado e escuto fundo de escala e
entro com 0,25 watts. É realmente uma grande diferença. Quero acreditar,
que
a instalação de repetidores por parte da REP é um pouco como o "cão a
mijar
para o poste", para marcar território. Este repetidor da REP em Sintra
nem
estava com tons de proteção pelo que alertei a ANACOM de tal facto, pois
as
regras acredito serem iguais para todos. Tambem o de Monsanto,
responsabilidade da REP, está uma miséria, e só se acciona com altas
potencias e ninguem o usa por que na realidade está uma porcaria. Isto
para
não falar dos de UHF que nem escuto, apesar de outros repetidores de UHF
da
zona de Lisboa, como sejam o da Serra da Amoreira, e o da LARS em Sintra
eu
escutar fundo de escala. O mesmo se passa com a ARAS. Associação de
Radioamadores Amadora Sintra, que sendo uma associação moribunda, que
esteve
à beira de acabar, e porque a Radio Renascença só autoriza uma
associação na
Arrábida, e sabendo que nós ARLA tinhamos pedido autorização à RR para
instalação de repetidores de VHF, UHF, e reactivação do TVA na Arrábida,
apresou-se a pedir tambem autorização para instalação do rpt de VHF na
Arrábida alegando antiguidade, ao que a ARLA sabendo dessa antiguidade
cedeu
a sua posição e desistiu da Arrábida. Até ao momento não está lá nada, e
sei
que o repetidor está retido por falta de pagamento da modificação. Ao
que
sei houve uma assembleia geral nesta associação e correram com a
anterior
direcção que não fazia nem deixava fazer nada, inclusive a ARLA mostrou
disponibilidade para ajudar a ARAS a reactivar os repetidores,
oferecendo
meios técnicos e materiais, ao que a ARAS respondeu com um "não"
redondo,
pois disseram que não precisavam da nossa ajuda para nada. O tempo
acabou
por mostrar a razão.
Quanto às interferencias da TV cabo, deve ser a TV cabo a resolver o
problema, pois as insatalações de TV por caboi não podem irradiar
qualquer
sinal, pelo que a ARAL deve  denunciar prontamente esse facto à direcção
de
Fiscalização da ANACOM.
Quanto ao problema do desvio de modulação ter sido alterado para 2,5KHz,
esse é um passo a dar, mas falta saber se no receptor tambem foram
mudados
os filtros para espaçamento de canal de 12,5 KHz ou se pelo contrario
ainda
está com filtros de 25KHz de espaçamento de canal. Se assim for terão
que
mudar os filtros do receptor e não terão mais problemas com repetidores
que
funcionem a 12,5KHz ao lado, mesmo que muito proximos. O facto de os
colegas
que estão por exemplo a trabalhar através do vosso repetidor, em
145.6125 e
estão a escutar barbas da Serra da Estrela, não tem nada a ver com o
vosso
repetidor. Existem 2 possibilidades para que tal aconteça, sendo uma
delas,
o facto do RPT da ARBA poder estar a transmitir com mais de 2,5KHz de
desvio, e a outra que é a mais provável, é o facto de os utilizadores do
repetidor estarem a trabalhar com transceptores que não estão preparados
para espaçamentos de 12,5 KHz ou se estão, não activaram a função NBFM
(Narrow band FM), e aí o problema não é nem da ARAL nem da ARBA, mas sim
dos
amadores que não teem as suas estações adequadas às novas regras, sendo
que
tambem eles devem se adaptar. Lembre-se do que escrevi antes, que não
são os
repetidores que tem que se adaptaràs estações, mas sim as estações aos
repetidores.
Aqui da parte da ARLA tenho feito esforços no sentido de esclarecer
tecnicamente aqueles amadores com menos conhecimentos, no sentido de
explicar como funcionam as coisas agora, e acho que devem tambem começar
por
esclarecer os utilizadores dos vossos repetidores que a partir de agora
as
regras são diferentes pelo que devem adaotar os transceptores ao
espaçamento
de 2,5KHz. Posso desde já acrescentar que um transceptor com o desvio de
5KHz não entra em condições num repetidor de NBFM, parecendo estar
completamente fora da frequencia, e apresentando uma distorção tão
elevada
que se torna quase incompreensivel. Se isso não acontecer no vosso
repetidor, provavelmente a recepção está para um espaçamento de 25KHz.
Pelo
que eu já escutei no vosso repetidor, e por ter já lá estado a
transmitir
com 5KHz de desvio, sem ser notada qualquer anomalia, não me parece que
o RX
esteja alterado para NBFM.
 
Se necessitarem de alguma ajuda técnica que estiver ao meu alcance
saibam
que estarei QRV para com os meus modestos préstimos puder ajudar no que
me
for possivel
 
Com os meus cumprimentos
Carlos Mourato
CT4RK
 
 
 
On 2/13/06, ARAL <ct6arl.aral  sapo.pt> wrote:
>
> Caro colega
>
> Obrigado pelo seu email.
>
> Continuo a acreditar que a forma como estavam antigamente distribuídos
os
> repetidores, fora alguns acertos, seria a mais correcta. Haveria só
que
> aplicar tons de protecção, e ficaríamos, pelo menos, muito melhor que
na
> nossa situação actual.
>
> *Para além disso, pessoalmente entendo que a ANACOM cometeu mais um
erro,
> por boa vontade.*
>
> Não respeitando os que cá existiam, permitiu que "toda a gente"
instalasse
> repetidores.
>
> Dou-lhe um exemplo, *sem desabono para os colegas ou instituições em
causa
> *, em Coimbra no mesmo local há 2 repetidores de UHF de duas entidades
> diferentes.
>
> Em vez de se "arrumar" o que havia, criou-se o caos total.
>
> Eu pessoalmente sou e sempre fui colaborante. Como temos problemas da
TV
> Cabo no nosso Distrito aceitei a frequência que a ANACOM me entendeu
propor
> em VHF, para a instalação dos nosso repetidor.
>
> Aliás tinhamos outra frequência, para outro repetidor de VHF atribuída
, a
> autorização de instalação tinha nos sido dada há mais de 2 anos e
> entendemoos que não devíamos montar o equipamento pois existiu um
> licenciamento de um repetidor de UHF para a mesma àrea de cobertura.
>
> É esta colaboração e sentido de senso comum que deveria existir.
>
> Quanto ao repetidor de em 145.650 não vai acontecer a não ser por
> imposição da ANACOM.
> O nosso licenciamento é em 145.6125 e por lá iremos ficar.
>
> O nosso repetidor é um equipamento novo da Motorola. Fui devidamente
> preparado, testado e afinado num dos representantes, estamos seguros
que o
> desvio do emissor não é superior a 2,5khz.
>
> Quanto a outros repetidores estamos certos que alguns estão com desvio
de
> 5 ou mais khz.
>
> Relembroo que sábado o repetidor esteve em testes em outra frequência
que
> a ANACOM nos autorizou, os 145.7625mhz e embora localizado a menos de
50km
> da linha de vista do Montejunto, não houve o mínimo problema para os
utentes
> dos mesmos.
>
> Outro problema, um pouco menos inportante, é o facto das potências PAR
> autorizadas. Não existiu uniformidade nem tão pouco regra para a sua
> autorização.
>
> Recordo que a minha discordância com o colega foi em relação à
potência a
> utilizar (100w)e à defenição dos repetidores, agravada pelo facto de
nesse
> mês ter saído um mapa de repetidores na QSP aonde o antigo RU5 só
aparecia
> no Norte de Portugal.
>
> Técnicamente não serei a pessoa mais avalizada para falar deste
assunto,
> mas entendo que se toda a gente se julga no direito de ter um
repetidor a
> funcionar nas devidas condições, porque é que a ARAL não há-de ter?
>
> Porque é que no nosso distrito dentro da nossa célula o nosso
repetidor
> não é escutado devido " a barbas" de outros repetidores?
>
> Colega Mourato, aguardemos melhores dias porque para piores para o
> radioamadorismo bastam estes!
>
> Pena é que por culpa de nós e com a ajuda de muitos, estes assuntos
não
> sejam discutidos entre as associações em sede própria de modo a
existir uma
> única proposta a ser transmitida à ANACOM, sobre os assuntos que a
todos os
> radioamadores dizem respeito.
>
> Receba caro colega os meus sinceros agradecimentos e o reconhecimento
que
> lhe tenho pela sua participação e defesa das causas que a todos nós
> radioamadores dizem respeito.
>
> 73's
> CT1EWA
> Paulo Santos
>
> ----- Original Message -----
> *From:* Carlos Mourato <radiofarol  gmail.com>
> *To:* ct6arl.aral  sapo.pt ; arla  clix.pt ; geral  ct1arb.com ;
> arvm  mail.telepac.pt
> *Sent:* Sunday, February 12, 2006 9:43 PM
> *Subject:* Repetidor em 145.650
>
>
>
> Exmo colega CT1EWA
>
> Antes de mais receba os meus cumprimentos.
> Depois de ler o seu mail cabe-me subscrever a sua preocupação com
atitudes
> improprias por parte daqueles que se dizendo radioamadores, nunca
fizeram
> nem fazem nada para que exista um caminhar no sentido de engrandecer o
> radioamadorismo, e de resolver da melhor maneira os problemas que teem
> surgido na sequencia da nova legislação sobre repetidores.
> Os meus comentarios acerca de usarem a frequencia de 145.650 KHz são
> rápidos e directos. Sendo que o vosso repetidor chega em razoaveis
condições
> a grande parte de Lisboa, e tambem aqui ao Litoral do Alentejo, em que
dou o
> exemplo de receber esse repetidor na minha estação, em 90% do tempo
com
> sinais de 59+40, e que por sua vez tambem o repetidor de Fóia chega
> praticamente fundo de escala, mas em Lisboa chegará com igual
intensidade de
> campo do que o vosso, estou a prever fortes interferencias na zona de
Lisboa
> e do sul do Tejo , estendendo-se até à zona de Sines. Este facto vai
gerar
> contestação por parte dos usuarios de ambos os repetidores nas zonas
em que
> os sinais serão comuns. Sendo que as novas regras aplicadas às
estações
> repetidoras de amador não são nem de longe as melhores, isto em muito
por
> culpa dos radioamadores, que teimosamente quiseram levar a "brasa à
sua
> sardinha", lembro o email da ARAL em que referiam que mudar a
frequencia do
> antigo R5 ia prejudicar a ARAL e mais valia vender os equipamentos e
> dedicar-se à pesca, quando a ARLA apresentou um plano nacional de
> repetidores, da minha autoria, em que apenas 3 repetidores deveriam
mudar de
> QRG, vejo agora que muito mais do que 3 repetidores mudaram de
frequencia, e
> mesmo os da ARAL tiveram que mudar, mesmo sem venderem os radios e
> dedicarem-se à pesca. Tudo isto e desculpe este "lembrete", que afinal
foi a
> reação da ARAL quando se tentou fazer um trabalho que esteve em
discução,
> para que todos pudessem fazer as suas criticas de uma maneira
construtiva, e
> que algumas associações fizeram em seu tempo, vem de encontro à falha
de
> cordenação entre os amadores e por sua vez a imposição de regras
feitas pela
> ANACOM.
> Mas deixando de lado coisas que já passaram de prazo. e porque não é
sobre
> tal que lhe envio este mail, quero informar que tambem a ARLA, teve
> problemas com os repetidores que instalamos, e pelos quais sou
responsavel,
> com a LARS nomeadamente o RV57 em 145.7125 KHz. O probelma era os
mesmo
> que vos afecta em relação ao repetidor da Serra da Estrela. Os colegas
em
> Lisboa entravam no nosso de "esguelha" e estavam permanentemente a
coloca-lo
> no ar visto que o tom de proteção é o mesmo, e os repetidores estão em
linha
> de vista. Assim como os colegas que operando no litoral Alentejano
colocavam
> o de Sintra no ar, porque esta é uma zona coberta pelo repetidor de
Sintra.
> O primeiro passo a dar, neste caso, e antes de se mudar de frequencia,
> porque pode acontecer que saindo de um problema venha a cair noutro, é
> colocar o vosso repetidor de acordo com as regras da ANACOM  que são
> baseadas nas recomendações da IARU, tomadas em reunião feita em 1993
em
> Telavive, em que recomendaram às associações e entidades
fiscalizadoras o
> uso canais espaçados 12,5 KHz para frequencias abaixo de 146 MHz. A
ARLA,
> através de mim, entrou em "comunicação permanente" com o responsavel
pelos
> repetidores da LARS, o colega Freitas, CT1FZC e num espirito de
entreajuda
> dicidimos tomar todas as medidas necessárias com o fim de resolver
> eficazmente tal problema. Começamos por limitar o desvio dos emissores
dos
> repetidores a 2,5KHz de acordo com as novas regras, e depois num
verdadeiro
> espirito de interajuda o colega Freitas veio a Sines e trouxe um
receptor já
> com os filtros de FI mudados para 12,5KHz pra fazer testes. O receptor
foi
> instalado no nosso repetidor, assim como o da LARS em Sintra tambem
levou um
> com FI de FM banda estreita. O resultado foi que acabaram de vez todos
os
> problemas. Posso dizer-lhe que operando o repetidor de Sintra, junto à
torre
> do nosso repetidor, com 50watts, não faço qualquer interferencia no
nosso
> repetidor. O mesmo se passa de modo contrario. É claro que os usuarios
dos
> repetidores vão ter de se habituar a trabalhar em FM narrow, com um
desvio
> limitado a 2,5 KHz ou então chegam muito mal de modulação. Mas isso
são as
> regras que todos vão ter de cumprir a partir do momento em que comecem
as
> vistorias, pois tambem vão incidir no RX. Não é de maneira alguma
justo que
> sejam apenas as associações a suportar as mudanças. Os amadores tem
que se
> convencer que tambem a eles cabe parte da adaptação às novas regras.
Por
> aqui já praticamente tudo se habituou aos 2,5 KHz e tudo ficou
resolvido,
> demonstrando que um bom entendimento entre as associações só pode
levar a um
> bom caminho.
> Coloquem os vossos repetidores com filtros adequados, se ainda não o
> fizeram, e deixem os utilizadores habituarem-se ao NBFM. Lembrem-se
que é
> uma filosofia errada adaptar os repetidores aos utilizadores. O que
deve
> acontecer são os utilizadores se adaptarem aos repetidores. Quem não
tiver
> radios com NBFM, ou manda ajustar, ou então compra outro. O que não se
pode
> é continuar a alimentar polémicas e fazer "guerras" sem qualquer razão
de
> ser.
> Mais uma vez entenda este meu mail como uma tentativa de ajudar a
resolver
> o vosso problema e não uma critica destrutiva.
> Certo de que a ARAL tudo tem feito para o bom encaminhamento do
> radioamadorismo, despeço-me com consideração, tomando a liberdade de
enviar
> este mail a outras associações.
>
> Carlos Mourato
> CT4RK
> --
> BPL/PLC ......No thanks!!!
> Best 73 from:
> regards from:
> CT4RK
> Carlos Mourato
> Sines - Portugal
>
>
 
 
--
BPL/PLC ......No thanks!!!
Best 73 from:
regards from:
CT4RK
Carlos Mourato
Sines - Portugal
 
 
 
--
BPL/PLC ......No thanks!!!
Best 73 from:
regards from:
CT4RK
Carlos Mourato
Sines - Portugal
_______________________________________________
Cluster mailing list
Cluster  radio-amador.net
/cluster/listinfo/cluster



Mais informações acerca da lista CLUSTER